RIO PRETO TV

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Marquinhos Gabriel chega ao Santos FC: “Sei da importância desta camisa”

O meia-atacante Marquinhos Gabriel foi apresentado nesta segunda-feira (26), no CT Rei Pelé, e falou da felicidade em chegar ao Alvinegro Praiano. O jogador de 24 anos que chegou como o quinto reforço do Santos FC para a temporada e vestirá a camisa 31.
“Sei a importância de vestir essa camisa. Todo o jogador quer atuar aqui no clube de Pelé, Robinho, Diego, Elano. É uma satisfação grande, espero dar conta do recado”, disse o meia em sua chegada.
Esta não será a primeira vez que Marquinhos Gabriel trabalhará com o técnico Enderson Moreira. Os dois estiveram juntos no Internacional (RS). “A minha relação com ele (Enderson) foi a melhor possível, trabalhamos um ano lá e fizemos um trabalho bom. É muito bom estar de volta aos trabalhos com ele, espero que tudo ocorra bem no Santos FC”.
Grato pela maneira com que foi acolhido pelos companheiros no CT Rei Pelé, Marquinhos Gabriel deseja dar o retorno o quanto antes à torcida do Peixe. “Espero ajudar muito em campo, pois fora de campo, todos estão me dando força nesse começo”.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Sindicatos e Palestra fazem parceria

Até o momento cinco sindicatos confirmaram parceria e seus associados poderão pular o Carnaval no Palestra. A ideia é levar aos trabalhadores uma nova opção para comemorar a maior festa do país; trabalhadores poderão aproveitar 4 noites e duas matinês
Alguns sindicatos do Movimento Sindical Unificado de Rio Preto e outros fizeram uma parceria com o Palestra Esporte Clube para o Carnaval deste ano.
Segundo Márcia Caldas, presidente do Sincomerciários (Sindicato dos Empregados no Comércio), ela foi procurada pelo presidente do Palestra que propôs uma parceria com o movimento sindicato. “Nos reunimos com o pessoal do Palestra e com os presidentes e diretores de alguns sindicatos e fechamos uma acordo que vai beneficiar nossos associados”, salientou Márcia.
Outro presidente de sindicato que também comemorou a parceria foi Sérgio Paranhos, presidente do SETH (Sindicato dos Empregados em Turismo e Hospitalidade). Segundo ele, os sindicatos irão ter uma cota de convites para as quatro noites de Carnaval (14 a 17 de fevereiro) e as duas matinês (15 e 17 de fevereiro).
Cada sindicato terá sua forma própria de distribuição dos convites para o Carnaval do Palestra.
Além do Sincomerciários e o SETH, já estão confirmados a participação do SEAAC, do Sindicato dos Frentistas e do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação. Para obter mais informações, ligue nos sindicatos participantes.
Fonte: Sérgio Sampaio – Jornal do Trabalhador

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Vem ai o pacotão da Maldade, eu gostaria de saber se vale também para a presidente, senadores, deputados, militares, funcionários públicos ou só para o povão que banca e paga a Previdência Social?

Governo anunciou em dezembro mudanças em benefícios previdenciários.
Outras regras começam a valer nos próximos meses.

Começa a valer nesta quarta-feira (14) uma das novas regras anunciadas pelo governo para a pensão por morte. A partir de agora, só terá direito ao benefício quem tiver pelo menos dois anos de casamento ou união estável. A legislação anterior não estabelecia um prazo mínimo para a união.
As mudanças na pensão por morte fazem parte de um pacote de medidas provisórias anunciadas pelo governo no final do ano passado para tornar mais rigoroso o acesso da população a uma série de benefícios previdenciários. As mudanças não afetam quem já recebe o benefício.
Já no dia 30 de dezembro, entrou em vigor a alteração que estabelece que deixa de ter à pensão o dependente condenado pela prática de crime que tenha resultado na morte do segurado.
Outras regras para o benefício entrarão em vigor a partir de 1º de março. Uma delas estabelece um prazo de “carência” de 24 meses de contribuição do segurado para que o dependente obtenha os recursos. Atualmente, não é exigido tempo mínimo de contribuição para que os dependentes tenham direito ao benefício, mas é necessário que, na data da morte, o segurado esteja contribuindo.
Também começa a valer em março um novo cálculo que reduzirá o valor da pensão (do patamar de 100% do salário de benefício para 50% mais 10% por dependente até o limite de 100% e com o fim da reversão da cota individual de 10%).
Outra mudança é a vitaliciedade do benefício. Cônjuges “jovens” não receberão mais pensão pelo resto da vida. Pelas novas regras, o valor será vitalício para pessoas com até 35 anos de expectativa de vida – atualmente quem tem 44 anos ou mais. A partir desse limite, a duração do benefício dependerá da expectativa de sobrevida.
Desse modo, o beneficiário que tiver entre 39 e 43 anos receberá pensão por 15 anos. Quem tiver idade entre 33 e 38 anos obterá o valor por 12 anos. O cônjuge com 28 a 32 anos terá pensão por nove anos. Quem tiver entre 22 e 27 anos receberá por seis anos. E o cônjuge com 21 anos ou menos receberá pensão por apenas três anos.
MAIS MUDANÇAS
A minirreforma previdenciária anunciada em dezembro inclui também mudanças no seguro-desemprego, abono salarial, auxílio-doença e seguro-defeso, que começam a valer nos próximos meses.

Novas regras para o seguro-desemprego
Com as novas regras, que entram em vigor em março, o trabalhador que solicitar o benefício pela primeira vez, terá de ter trabalhado por 18 meses nos 24 meses anteriores. Na segunda solicitação do benefício, ele terá de ter trabalhado por 12 meses nos 16 meses anteriores e, a partir da terceira solicitação, terá de ter trabalhado, pelo menos, por seis meses ininterruptos nos 16 meses anteriores.

De acordo com o Ministério da Fazenda, na primeira solicitação, o trabalhador poderá receber quatro parcelas se tiver trabalhado entre 18 e 23 meses nos 36 meses anteriores. Poderá receber cinco parcelas se tiver trabalhado a partir de 24 meses nos 36 meses anteriores. Já na segunda solicitação, ele poderá receber quatro pardelas se tiver trabalhado entre 12 e 24 meses nos 36 meses anteriores..
A partir da terceira solicitação do seguro-desemprego, vale a regra anterior, que prevê o recebimento de três parcelas para quem trabalhou entre 6 e 11 meses nos 36 meses anteriores. Para receber quatro parcelas do seguro-desemprego, ele terá de ter trabalhado entre 12 e 23 meses nos 36 meses anteriores e, para receber cinco parcelas, terá de ter trabalhado por, pelo menos, 24 meses nos 36 meses anteriores.



terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Dilma veta projeto de lei que reduz INSS das domésticas.



A presidente Dilma Rousseff vetou, integralmente, o Projeto de Lei 7.082/2010, que reduz a contribuição social do empregador e do empregado doméstico ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Para rejeitar a proposta, Dilma alegou "contrariedade ao interesse público" e "impacto negativo" nas contas do governo de cerca de R$ 600 milhões por ano, "não condizente com o momento econômico atual".
A proposta, aprovada pelo Congresso na primeira quinzena de novembro, criaria uma alíquota única de 6% sobre o salário para a contribuição social recolhida por empregador e pelo trabalhador. A legislação atual prevê alíquotas que variam entre 8%, 9% e 11% de recolhimento pelo funcionário doméstico. Já a contribuição devida pelo patrão é de 12% do salário do empregado. 
Na justificativa do veto, Dilma destaca que o projeto é anterior à Emenda das Domésticas. "O Projeto de Lei foi proposto anteriormente à promulgação da Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de 2013, cuja regulamentação legal, de forma integral e mais adequada, encontra-se em tramitação no Congresso Nacional", cita na mensagem com a razão do veto, publicada no Diário Oficial da União.